Esterilização

A cirurgia esterilizadora masculina, popularmente chamada de vasectomia, é um procedimento cirúrgico de esterilização masculina. É considerada efetiva e altamente segura para os homens que desejam controlar a sua fertilidade. A vasectomia não tem nenhum efeito secundário na incidência do cancêr, no impacto da ereção ou na performance sexual. O resultado é a ausência de espermatozoides no sêmen ejaculado cujo volume diminui apenas 5%, pois a secreção prostática continua sendo produzida e eliminada, juntamente com as secreções das vesículas seminais. A vasectomia pode ser realizada com uma anestesia local, na área escrotal com uma ou duas pequenas incisões, tendo-se o cuidado de ligar e isolar exclusivamente o canal deferente (canal que leva os espermatozoides dos testículos para a região prostática). O procedimento não requer hospitalização e o homem pode voltar ao trabalho em três dias. Após a realização da vasectomia, é necessário um número mínimo de 25 ejaculações para que todos os espermatozoides armazenados no canal sejam eliminados. Neste período é recomendado o uso de métodos contraceptivos pelo casal, até que a analise do sêmens (espermograma de controle) revele a ausência total de espermatozoides.

A cirurgia esterilizadora masculina é um procedimento de difícil reversão, portanto é de suma importância que o paciente esteja ciente que se trata de um método definitivo e que existem outros métodos de anti-concepção ( Preservativo, DIU, anticoncepcional oral feminino, etc).

A lei que regula a cirurgia de vasectomia e ligadura tubária na mulher é a Lei do Planejamento Familiar –N.º 9263, de 12 de Janeiro de 1996 (DOU 15.01.96). Alguns trechos relevantes:

Art. 10. Somente é permitida a esterilização voluntária nas seguintes situações:

I-em homens e mulheres com capacidade civil plena e maiores de vinte e cinco anos de idade ou, pelo menos, com dois filhos vivos.

II- §2º. É vedada a esterilização cirúrgica em mulher durante os períodos de parto ou aborto, exceto nos casos de comprovada necessidade, por cesarianas sucessivas anteriores